Acompanhe tudo que acontece no IMC.

Aqui você pode conferir tudo que acontece no IMC, ações, campanhas, novidades e conquistas. Fique por dentro!

No inverno, risco de sofrer infarto aumenta 30%, alerta cardiologista do IMC

No inverno, o risco de sofrer um infarto aumenta 30%, segundo dados do Instituto Nacional de Cardiologia, nesta época do ano, a chance de desenvolver outras doenças vasculares, como o caso AVC (acidente vascular cerebral), também é elevada. “O risco é maior porque, em resposta à queda da temperatura, os vasos sanguíneos se contraem para manter o calor do corpo, aumentando a pressão arterial e, com isso, a possibilidade de infarto ou AVC”, explica o cardiologista Luciano Miola, do Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC, de São José do Rio Preto. Além do aumento da pressão sanguínea, as complicações cardíacas e vasculares são mais fáceis de acontecer nesta época do ano também por conta da falta de hidratação e sedentarismo, já que as pessoas tendem a reduzir a atividade física ou mesmo não a praticar. O AVC (acidente vascular cerebral) acontece quando os vasos responsáveis por levar o sangue até o cérebro entopem ou se rompem, causando assim morte dos neurônios da área cerebral que ficou sem a circulação sanguínea. Por esse motivo, quanto antes identificado e iniciado o tratamento, menores são as chances de danos mais graves ao paciente. Dr. Luciano Miola explica que, para manter a temperatura do corpo (36º C), as terminações nervosas da pele incentivam a produção de uma substância que acelera o metabolismo para proteger os órgãos internos e evitar a perda de calor. “Este processo exige mais força do coração para conseguir bombear o sangue, pois as paredes dos vasos sanguíneos se contraem. Isso gera um aumento elevado da pressão sanguínea, o que pode levar a pessoa a ter um AVC ou infarto”, descreve o cardiologista do IMC. Segundo ele, as pessoas podem se prevenir de sofrer estes problemas cardiovasculares adotando algumas atitudes como, por exemplo, se agasalhar melhor, manter a hidratação, não deixar de praticar exercícios, não tomar vento ou chuva, descansar sempre que possível, reduzir o álcool e cigarro e manter uma alimentação saudável e balanceada. “É importante prestar atenção em qualquer sinal de mudanças no organismo e, ocorrendo, procurar imediatamente o médico. Realizar consultas periódicas, com exames preventivos é fundamental também. A maioria das doenças pode ser curada quando descoberta e tratada com antecedência”, afirma Dr. Luciano Miola. De acordo com o cardiologista, os sintomas do AVC podem aparecer dias antes, por isso deve-se estar atento e buscar ajuda médica o quanto antes. Para identificar os sinais do AVC, pode-se usar a técnica conhecida como “SAMU”: sorriso, abraço, mensagem, urgente. Sorriso – durante o AVC a boca fica torta, peça para que a pessoa tente dar um sorriso. Abraço – nesse momento fica difícil para a pessoa levantar os dois braços ao mesmo tempo. Peça para que ela tente te abraçar. Mensagem – quem está tento um AVC começa apresentar dificuldades de fala, peça para a pessoa cantar. Você vai perceber a fala embolada. Se perceber um desses sinais, o SAMU (fone 192) deve ser acionado urgentemente. De acordo com o médico do IMC, outros sintomas são a dificuldade de caminhar ou ficar em pé, formigamento e falta de força em um lado do corpo, problema de memória recente e passada e dor de cabeça intensa com vertigem. “O tratamento precoce com medicamentos, como TPA (fibrinolítico), pode minimizar danos cerebrais. Quanto antes a pessoa for socorrida e iniciar o tratamento, melhores serão os resultados e menores as sequelas”, finaliza Dr. Luciano Miola.

19 de Julho MAIS

Hospital do Coração do IMC recebe acreditação da ONA

O Hospital do Coração do IMC recebeu, em março, a acreditação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), uma certificação que atesta, não apenas a qualidade dos serviços prestados pela instituição na área da saúde hoje, mas que reconhece o comprometimento de uma equipe que há 53 anos faz história com pioneirismo em tratamentos cardiovasculares que se tornaram referência em todo o país. Esta acreditação assegura que o Hospital do Coração (HMC) atende aos requisitos formais, técnicos e de estrutura de qualidade e segurança na saúde, para exercer a atividade hospitalar, identificar os riscos específicos e gerenciar os processos com foco principal na segurança do paciente. “Não há alegria e satisfação maior para nós, do Hospital do Coração, receber o selo de hospital acreditado pela ONA. Este é um resultado de muito esforço e dedicação de todos os nossos colaboradores e parceiros. Não tenho dúvidas que esta certificação é só o começo de um longo trabalho pela busca contínua da excelência.”, disse o administrador, Dr. Michael Melo. A ONA reconhece a qualidade dos serviços médico-hospitalares do HMC com vista a um processo contínuo de melhoria, onde se destacam o desempenho de seus recursos humanos, o aprimoramento da gestão organizacional e, principalmente, a segurança dos pacientes e dos profissionais da saúde. Este resultado foi alcançado por todos. Uma diretoria engajada, que incentiva diariamente seus profissionais com a atitude de buscar um melhoramento contínuo para um atendimento assistencial de excelência. Uma equipe de colaboradores que trabalha unida em aprimoramento dos processos, com dedicação e comprometimento com a saúde. Enfim, uma conquista muito importante, porque consiste no reconhecimento da credibilidade social alcançada pelo Hospital do Coração, construída por mais de duas décadas de atuação profissional ética, inovadora e responsável na área da saúde e da segurança integral de seus pacientes. “A acreditação da ONA é uma conquista importantíssima no que se refere à humanização que o hospital dispõe do ponto de vista técnico e de acolhimento do paciente. É uma maneira concreta de o público externo ter um olhar microscópico para a nossa instituição, visualizando a qualidade dos nossos processos. Eu estou muito satisfeito e feliz pelo comprometimento de todos, porque, dessa forma, nos envolvemos e entendemos o processo normativo que garante a segurança na assistência prestada pela instituição a qual todos nós pertencemos. Só tenho que agradecer a todos.”, ressaltou o médico cirurgião cardíaco e diretor do Hospital do Coração, Dr. Roberto Vito Ardito. Esta conquista é compartilhada com toda a sociedade rio-pretense e também do estado de São Paulo, para os quais esta instituição tem prestado, assiduamente, um servido de qualidade reconhecida profissionalmente e socialmente referenciada. O que é a ONA? A ONA é a organização responsável pelo desenvolvimento e gestão dos padrões brasileiros de qualidade e segurança em saúde. Desde o ano de 1999, ela atua para que as instituições de saúde no Brasil adotem práticas de gestão e assistenciais que levem ao aprimoramento da segurança e do cuidado com o paciente. Hoje mais de 80% das instituições acreditadas no país adotam os padrões ONA. Além de referência nacional, os padrões ONA são reconhecidos no exterior. A ONA é membro da International Society for Quality in Health Care (ISQua), atuando ao lado de instituições que promovem a qualidade da saúde em países como Estados Unidos, Reino Unido, França e Canadá. Acompanhe as instituições acreditadas em nossa região pelo link: https://www.ona.org.br/mapa-de-acreditacoes

15 de Junho MAIS

O IMC trabalha pela primeira vez a campanha em favor da Saúde Mental

O Instituto de Moléstias Cardiovasculares e o Hospital do Coração estão lançando esse mês, pela primeira vez, a Campanha Janeiro Branco, que alerta para os cuidados com a saúde mental. Assim como o Setembro Vermelho, o Outubro Rosa e o Novembro Azul, o Janeiro Branco é um mês dedicado à alertar a sociedade como um todo da importância de prevenir doenças, neste caso, do cérebro. A Campanha Janeiro Branco busca a promoção de Saúde Emocional nas vidas de todos, buscando estratégias para que o adoecimento emocional seja prevenido, conhecido e combatido em todos os campos. Uma campanha dedicada a mostrar às pessoas – e à sociedade – que os seres humanos são seres de conteúdos psicológicos e subjetivos, que suas vidas, necessariamente, são estruturadas em torno de questões mentais, sentimentais, emocionais, relacionais e comportamentais, sendo, portanto, imperioso e necessário, que a subjetividade humana possua lugar de destaque em nossa cultura e em nossos cotidianos, sob pena de sermos vítimas de nós mesmos e de quem despreza as próprias necessidades psicológicas e as necessidades psicológicas alheias. Segundo uma pesquisa feita na Faculdade de Medicina da Universidade Harvard, Estados Unidos, situações estressantes provocam uma produção excessiva de glóbulos brancos no organismo. Essas células fazem parte do sistema imunológico de um indivíduo. Em excesso, porém, podem se acumular nas paredes das artérias, reduzindo o fluxo sanguíneo e favorecendo a formação de coágulos – elevando, assim, o risco de doenças cardiovasculares. De forma resumida, o estresse pode levar a um infarto ou a um acidente vascular cerebral (AVC). Mais do que preocupante, essa pesquisa aponta porque as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 17,7 milhões de pessoas morrem por doenças do coração. Desses óbitos, estima-se que 7,4 milhões ocorrem devido às doenças cardiovasculares e 6,7 milhões devido a acidentes vasculares cerebrais (AVCs). Durante todo o mês de janeiro, a instituição divulgará em suas redes sociais e site dicas e informações sobre o assunto para alertar a população. Além de realizar internamente uma série de ações e eventos para promover a saúde mental do seu colaborador.   PROGRAMAÇÃO DE EVENTOS DA CAMPANHA 17 de janeiro de 2020 | Às 10 horas | Anfiteatro IMC Lançamento Oficial da Campanha Fala: Dr. Jorge Cury Junior - Presidente do Conselho do IMC e Cardiologista 17 de janeiro de 2020 | Das 11h00 às 14h00 | Sala de Descanso (Anexo) Sessão de Yoga Restaurativa: consciência corporal, alongamento e meditação para os colaboradores 20 de janeiro de 2020 | Às 9 horas | Anfiteatro IMC 3º Encontro Social do Ambulatório IMC Drª Naira Juliana Santos Gomes – Neurologista Dr. João Daniel B. Pinotti – Cardiologista ‘‘Os efeitos do estresse para o cérebro e coração’’. EVENTO ABERTO AO PÚBLICO. 24 de janeiro de 2020 | Das 9h00 às 11 horas / 14h00 às 16h00 | Anfiteatro IMC Bate-papo com profissionais da área de Psicologia Oportunidade para os colaboradores conversarem com profissionais da área, para falarem o que sente, suas emoções, seus sentimentos, seus pensamentos e receber orientações. 31 de janeiro de 2020 | Às 15 horas | Anfiteatro IMC Encerramento da Campanha Falas: Dr. Jorge Cury Junior - Presidente do Conselho do IMC e Cardiologista Dr. Roberto Vito Ardito - Diretor Administrativo do HMC e Cirurgião Cardíaco.

15 de Junho MAIS

IMC realiza procedimento inovador para correção de Estenose Aórtica

Foi realizado no dia 12 de setembro, às 9h30, no IMC, o Implante Transcateter de Valva Aórtica, procedimento conhecido como TAVI. Ele corrige a Estenose Aórtica (EA), um estreitamento da válvula que impede o fluxo sanguíneo do ventrículo esquerdo para a aorta. O implante mudou a história das cirurgias cardíacas no mundo por ser realizado de forma minimamente invasiva, permitindo, assim, que pacientes com alto risco ou impossibilidade cirúrgica pudessem fazer o procedimento de forma segura. O implante foi solicitado pelo cardiologista, Dr. Jorge Cury Júnior, a uma paciente de 73 anos, que já havia passado, anos atrás, por uma cirurgia de implante com esternotomia (abertura cirúrgica do esterno) para a correção da doença. Com o tempo, a válvula implantada perdeu sua função e, com outros agravamentos da doença, a paciente ficou impossibilitada de passar novamente pelo mesmo procedimento, tornando-se assim, o TAVI, uma indicação de solução para o caso. O implante foi realizado pelos médicos: Dr. Armando Mangione, Cardiologista Intervencionista Proctor especialista em TAVI da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Dr. Pedro Gomes de Almeida Garzon e Dr. Dárcio Gitti de Faria, Cardiologistas e Hemodinamicistas do IMC, além de uma grande equipe de profissionais qualificados para dar suporte durante o implante. O procedimento foi um sucesso e o IMC de Rio Preto demonstra mais uma vez sua excelência na realização de uma técnica inovadora na saúde do país. TAVI NO MUNDO Há 15 anos, o cardiologista intervencionista francês, Dr. Alain Cribier, realizou com sucesso o primeiro implante percutâneo transvalvar aórtico no mundo. O procedimento se tornou um marco na história das cirurgias cardíacas, porque não requer esternotomia e circulação extracorpórea, o que possibilitou, a partir de então, correções menos invasivas em paciente de alto e muito alto risco cirúrgico, uma inovação sem precedentes no caso da Estenose Aórtica, que possui taxas de mortalidade de até 50% em dois anos, em casos sintomáticos. Até o início do século 21, os casos severos da patologia tinham indicação primordial de tratamento cirúrgico. Nos dias atuais, as taxas de sucesso progressivamente maiores têm sido obtidas com o TAVI e, baseadas nestas evidências, as diretrizes mais atuais elaboradas pelas Sociedades Brasileira, Interamericana, Americana e Europeia de Cardiologia, sobre a correção dessa patologia, recomendam que o TAVI seja o tratamento de escolha para pacientes com estenose aórtica grave e considerados inoperáveis. SAIBA MAIS SOBRE A ESTENOSE AÓRTICA Estenose Aórtica (EA) é uma doença grave que apresenta curso acelerado a partir do aparecimento dos sintomas, podendo evoluir para complicações graves, como AVC, ou para óbito. Estima-se que 3 a 5% dos idosos acima de 75 anos podem ser acometidos pela patologia. O tratamento padrão é a cirurgia com implante de prótese valvar. A doença afeta habitualmente pacientes idosos, que algumas vezes não podem ser operados pela presença de comorbidades avançadas ou por problemas anatômicos. Neste grupo de pacientes, o tratamento padrão é o clínico, raramente sendo utilizada a valvuloplastia. A sobrevida neste grupo é pequena e de difícil estimativa.

15 de Junho MAIS
1 2